Páginas

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Mais Uma Despedida

Isso não é sobre superação, sobre mudanças ou conquistas de longos objetivos. É sobre falhar em tudo isso mesmo.

É sobre mais uma vez ter dado um primeiro passo, comemorado e não ter conseguido subir mais. Sobre conseguir subir muitos degraus, mas não saber quantos mais vão faltar. Sobre ouvir um game over e ter que voltar para fase inicial constantemente. 

É sobre ficar decidido, motivado e conseguir dizer nunca mais. Colocar uma data de início, dizer que essa tentação será a última, mas duas semanas depois ter um novo ritual de despedida. É uma luta que tenho comigo mesmo e eu já decidi que realmente preciso alcançar esse objetivo. Não acredito em uma desconstrução para aceitar as coisas como estão e que não preciso dessa batalha para ser feliz. Eu preciso! 

Eu sei de todos os cenários, de todas as consequências e quais devem ser minhas ações. Já descobri todas as receitas milagrosas, todas as metas alcançáveis e todas as soluções para as autossabotagens. Mas estou aqui tendo que começar do zero...

Mas estou aqui, completamente exausto de ter que começar do zero.
É desestimulante perceber que voltou vários passos atrás e é cansativo só de pensar que terei que passar por todos eles novamente para talvez nem chegar em algum lugar novo. Para mais uma vez ter que me permitir uma compulsão pela última vez.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Lascívia

O encontro chegou e os lábios estão sedentos 
São carnes lascivas distorcendo a solidão 
 Os partícipes serão os próprios sentimentos 
O contato da pele não vai chegar ao coração 

Em sua cama eu evito o espelho 
Entro em você querendo achar um fim 
É um vício, mas não deixa meu olho vermelho 
Apenas dissolve todas as cores em mim 

O que poderia ser um sonho alcançável 
 Ou uma história entre amores perturbados 
São só carícias entre estranhos num orgasmo deplorável 

Não posso me arrepender porque preferi mentir 
Escolhi essa forma de sentir ao aceitar me ferir 
E enquanto eu sangro, eu peço mais

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

1/4 de Perguntas e 1 vida de respostas

Etapa cumprida! Missão completa e tudo aconteceu como eu queria, meus amigos estavam presentes para comemorar comigo, eu me diverti, me embriaguei e pude celebrar cada momento desse enceramento. Tudo parecia perfeito, seria um momento que eu iria me lembrar para o resto da minha vida, mas de certa forma, eu nunca me senti tão vazio. Indo embora do que poderia ser um dos momentos mais felizes da minha vida, a euforia parecia que não estava ali. Eu abri a janela, talvez sentir o vento em meu rosto poderia provocar alguma intensidade, mas não.

O vazio era o mesmo. Talvez a missão ainda não acabou e o vazio significa apenas respostas que eu terei que buscar, eu sei quais as perguntas que estão abertas, mas pensei que poderia encerrar um ciclo e deixar esses desafios pendentes para o próximo capítulo, mas a vida não se preocupa com essa divisão, ela é contingente e a organização é apenas uma forma de tentar lidar com ela, mas ela não se importa com isso, ela quer as respostas e ela não me espera

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Sacrifício

Eu sacrifiquei as palavras, a poesia e até mesmo um pouco de felicidade com isso, simplesmente porque achava que não era vida e não me traziam histórias. Pude viver momentos fortes, mas abri mão de relatá-los, eu já não conseguia mais rimar e sacrifiquei uma obra por papeis avulsos. Apostei na experiência e não recebi a inteligência, apostei na ganância e não recebi a fortuna.

Eu sacrifiquei minha alma pelo meu corpo, um foco por um prazer carnal. Soube aproveitar, parecia mais as consequência de um pacto social, mas soube gozar. Eu precisei me vender, eu precisei me infiltrar, eu aprendi a ignorar. Sacrifiquei minha própria tribo, minha própria classe simplesmente porque queria ser livre, mas sem perceber apenas obedeci ordens de quem nem ao menos me afagou.

Eu vou aceitar a tristeza, eu vou aceitar o fracasso,vou aceitar a queda como uma foram de avaliar as perdas que eu sacrifiquei. Eu não pretendo amar, eu o usei em vão e o usaria outra vez. O amor foi apenas um peão que tive que entregar para conquistar o poder, e mesmo assim, eu não consegui me mover. Não me orgulho e vou me permitir ser derrotado, e não acho que seja uma vergonha. A derrota pode apenas ser mais um sacrifício, o meu próprio sacrifício. Não sei o que espero em troca, mas sei que preciso de entregar um sangue... e que ele esteja fresco.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Sobre amizades...

Sei das minhas limitações, dos meus defeitos e onde posso errar. Sei que grito muito, reclamo muito e faço merda demais. Sei que durante muito tempo na minha só conseguia enxergar uma versão extramente frustada de mim e que era incapaz de ter amigos. Minha adolescência foi resumida em ver grupinhos  combinando de ir ao shopping depois da aula, convites para a festinha no final de semana, segredinhos e bilhetinhos se espalhando ao meu redor sem que eu nunca estivesse incluído em nenhum planos.

Sempre tive que me virar sozinho, sempre aprendi a ser sozinho. Já culpei muito os outros pela exclusão, já me culpei muito por me achar insuportável e já perdi muito tempo procurando qualquer culpado por um tempo que não vai voltar. Talvez aquele ditado clichê que tudo um dia vai passar tenha se tornado verdade, talvez eu tenha mudado e procurado novos caminhos, não me importa...

Sei que hoje eu tenho pessoas que não possuem nenhuma obrigação de me aguentar, de conviver comigo, mas me procuram e se preocupam como estou. Tenho aqueles que podem me ligar para falar qualquer coisa, que eu largarei tudo que estiver fazendo e irei prontamente ajudá-lo sem pedir nada em troca por isso. São aqueles que eu não preciso falar muito, já sabem como vou agir, pensar e sabem melhor que eu como conviver com isso.

Alguns não vão durar para sempre, os nossos caminhos podem se desencontrar, mas guardarei todos esses comigo. Porque são com eles que eu compartilho cada sentimento que tenho enquanto a vida vai pensando, eles são o próximo do que eu pedi em meus momentos de solidão: felicidade e quando o futuro chegar, serão esses momentos com eles os que eu irei lembrar.

Obrigado a todos que conto meus problemas, que me pedem ajuda, que me perguntam como estou, que me chamam para sair, que eu morro de saudades e que não quero que saiam da minha vida.

FELIZ DIA DO AMIGO!


Foto ilustrativa tirada em 2013 e que nunca mais consegui tirar uma igual...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...